#4 Como modificar velhos hábitos

#4 Como modificar velhos hábitos

Saber COMO TRANSFORMAR HÁBITOS é a chave para que sua lista de promessas para o ano novo não seja apenas um pedaço de papel esquecido no fundo de uma gaveta.

Pois é, se você acha que no ano que chega já passou da hora de parar de procrastinar algo importante, fazer uma dieta, regular o sono, parar de fumar ou até mesmo mudar algum comportamento sistemático indesejado, estamos falando de alterar um hábito adquirido. Segundo pesquisas sobre o tema, 40% de todas as nossas ações são hábitos, ou seja, coisas que fazemos no piloto automático, sem pensar. Tudo bem se forem os chamado “hábitos saudáveis”, como escovar os dentes, ir à academia ou levar os filhos à escola. Mas e quando se tratam de hábitos que nos prejudicam ou que desejamos nos livrar?

Bem, você já deve saber por experiência própria que não é nada fácil. E há boas razões para isso. Os cientistas afirmam que isso ocorre porque nosso cérebro tentará sempre transformar qualquer rotina em hábitos para poupar esforço. Quando um hábito surge, o cérebro para de participar totalmente da tomada de decisões. Em outras palavras, hábitos não foram feitos para serem perdidos. É por isso que às vezes mudar uma rotina parece um sacrifício enorme.

Mas se hábitos não podem ser simplesmente eliminados, como podemos alterar um comportamento cotidiano que não desejamos manter? O truque aqui é manipular os componentes do “loop do hábito” a nosso favor. Falamos sobre isso no post de ontem. Os componentes são o GATILHO (evento que gera o impulso do hábito), a RECOMPENSA (incentivo que mantém o hábito) e a ROTINA (o que queremos mudar).

O que precisa ser feito é desenvolver uma forma de obter a mesma RECOMPENSA através de uma nova ROTINA (ação). Trata-se de um reprogramação do cérebro, que pode ser feita de forma deliberada quando reconhecemos quais deixas e recompensas estão envolvidas em um determinado hábito. A técnica que aplicaremos hoje tem base científica e foi proposta por Charles Duhigg no livro “O Poder do Hábito”. Então pegue papel e caneta e vamos trabalhar.

Os passos estão na sequência abaixo:

1) IDENTIFICAR A ROTINA
Trata-se do comportamento que você quer mudar em 2017. Uma boa forma para fazer isso é utilizar a estratégia que abordamos no Dia 2 da nossa série. Quanto às recompensas e gatilhos, normalmente não sabemos o que nosso cérebro busca quando executamos um hábito, pois essa operação ocorre em nível inconsciente. Para descobrir, precisamos nos comportar como cientistas, ou seja, fazendo experimentos. Para saber como, siga os próximos passos.

2) DESCOBRIR A RECOMPENSA
Basicamente o que temos de fazer é testar diferentes recompensas a cada dia que executamos o hábito e coletar dados. Por exemplo, se você sabota a sua dieta por não resistir à sobremesa na hora do almoço, experimente testar alternativas: em um dia, troque o doce por uma fruta; em outro, não coma e vá dar uma volta; em outro ainda, experimente conversar por alguns minutos com alguém. Teste isso por alguns dias, e sempre se pergunte 15 minutos após o experimento: “ainda sinto o impulso por executar essa rotina (ação)?”. Se em algum dos testes a resposta fosse “sim”, muito provavelmente você terá encontrado a recompensa que seu cérebro procurava.

3) ISOLAR A DEIXA
Hora de descobrir o que ativa o impulso ao hábito. Segundo os cientistas, quase todas as deixas se encaixam em uma entre cinco categorias possíveis: lugar, hora, estado emocional, outras pessoas ou ação anterior. Assim, a tarefa aqui é, para cada vez que o impulso para o hábito surgir, anotar em um caderno as respostas para cinco perguntas:

  1. Onde você está?
  2. Que horas são?
  3. Qual é o seu estado emocional?
  4. Quem mais está perto?
  5. Qual foi a ação anterior ao impulso?

Após alguns dias executando essa atividade, você estará apto a identificar qual a deixa que o empurra à rotina indesejada simplesmente observando qual é a resposta que se repete.

4) TER UM PLANO
É bem mais fácil estabelecer uma estratégia assertiva de mudança após conhecermos os componentes exatos do hábito que desejamos alterar. Sabendo a recompensa que impulsiona o comportamento e o gatilho que o deflagra, trata-se aqui de estabelecer uma tática para alterar a rotina. Em um vídeo de apenas 3 minutos para a divulgação de seu livro, o próprio Duhigg nos conta como mudou um hábito que o incomodava seguindo esses quatro passos. Veja aqui: http://youtu.be/Zx9OfXn9RW8

Parece complicado? Talvez um pouco trabalhoso! Mapear um hábito é um processo de autoconhecimento e aprendizado, exige disciplina e persistência no plano. Mas se essa técnica cientificamente comprovada puder te ajudar a eliminar em 2017 aqueles hábitos que têm te atrapalhado sistematicamente, talvez há anos, não terá valido muito a pena? Que tal fazer diferente desta vez, se desafiando a mudar definitivamente o que precisa ser mudado, para fazer do ano que chega um marco do pleno florescimento da sua potência?

PARABÉNS por estar nos acompanhando até aqui! Amanhã traremos um tema ainda mais instigante

Deixe uma resposta