#21 Razões para a procrastinação

#21 Razões para a procrastinação

Algumas das pesquisas sobre resoluções de ano novo que apresentamos no início desta série indicam que um dos maiores fatores para o fracasso das metas estabelecidas é a procrastinação.

Bem, é natural que haja uma certa empolgação nesta época do ano para criar listas e fazer planos. Mas, na prática, a maioria das pessoas acabam adiando as tarefas necessárias. Um levantamento do NUPAL (Núcleo de Pesquisas da América Latina) indicou que 85% das resoluções de ano novo deixam de ser cumpridas logo no primeiro dia. Basta que você pense por um minuto em quantos objetivos importantes já procrastinou para perceber o quanto esse assunto é importante!

Se você realmente está empenhado em proceder de forma diferente com suas metas para 2017, mas percebe o risco de cair em velhos padrões de adiar as coisas, talvez seja um bom começo refletir sobre as causas da procrastinação e desenvolver uma boa estratégia para lidar com isso.

Piers Steel, professor de recursos humanos da University of Calgary, é um dos maiores especialistas em procrastinação do mundo. Na postagem de hoje, abordaremos um estudo acadêmico de sua autoria, intitulado “The nature of procrastination: A meta-analytic and theoretical review of quintessential self-regulatory failure”. Segundo a pesquisa de Steel, há quatro razões básicas pelas quais a maioria das pessoas procrastinam.

 

A primeira razão é a NATUREZA DA TAREFA. Ações desagradáveis ou de baixa relevância para quem procrastina, muitas vezes acabam justificando o seu adiamento. Por exemplo, se uma de suas resoluções em algum ano anterior foi acordar mais cedo para ir à academia e você fracassou, talvez tenha feito isso por não ver tanta importância ou urgência que justificasse o comprometimento com esse objetivo.

Pode ser ainda que você não tenha encontrado tantas dificuldades em acordar no mesmo horário para ir a uma reunião com um cliente ou a outro compromisso profissional, o que pode indicar uma tendência a priorizar compromissos com outros em detrimento de compromissos consigo mesmo.

Não adianta assumir novos projetos ou responsabilidades se não houver um comprometimento pleno com as atividades necessárias para isso. Para esse tipo de procrastinação, o melhor a fazer é ter clareza dos objetivos envolvidos. Atividades chatas muitas vezes são necessárias para realizar metas maiores, e ter em foco o objetivo ao invés das tarefas é uma das principais estratégias para alcançar o sucesso.

Acordar cedo para praticar uma atividade física talvez não seja uma meta psicologicamente atraente para quem procrastina essa ação, mas trazer à consciência benefícios decorrentes disso, como levar uma vida mais saudável, ter maior disposição para as atividades diárias ou aumento da autoestima, pode fazer grande diferença para que se deixe de procrastinar. Para trabalhar essas questões em maior profundidade, reveja o post sobre valores, que publicamos no dia 10 de nossa série.

A segunda causa da procrastinação está ligada à PERSONALIDADE de quem adia as tarefas. Segundo o estudo de Steel, as características pessoais de um indivíduo também podem levá-lo a postergar suas ações. A boa notícia é que, embora não seja possível mudar a personalidade das pessoas, podemos controlar o entorno. Em outras palavras, é possível produzir um ambiente que torne inevitável deixar de fazer algo.

Por exemplo, se você perceber que tem deixado de se dedicar às metas programadas porque tende a se distrair facilmente com e-mails ou redes sociais, pode desconectar-se da internet até concluir a tarefa. Sempre que sentir um impulso autosabotador, será lembrado de que deve se manter focado em sua atividade, já que não terá como recorrer à distração habitual. Um bom começo aqui é reler as dicas de Rory Vaden, especialista em autodisciplina, que abordamos no dia 12, dia 13 e dia 14 de nossa série.

O terceiro aspecto que leva alguém a adiar suas ações envolve as EXPECTATIVAS desse indivíduo. Ou seja, conhecer o “caminho das pedras” para a realização de um objetivo dificulta a procrastinação, enquanto a incerteza do sucesso pode levar a ela. Nesse sentido, duas coisas são fundamentais: um bom planejamento e dar o primeiro passo.

Para começar um bom plano é imprescindível que o objetivo esteja muito bem detalhado, assim como mostramos no dia 10 de nossa série. Para dar o primeiro passo não há milagre, é preciso comprometer-se. Quem quer realizar algo ou mudar algum aspecto da vida precisa agir, pois não há resultados satisfatórios para quem nada faz; porém ninguém age sem antes COMPROMETER-SE com a ação. Publicamos também um conteúdo muito bom sobre esse tema no dia 6 de nossa série. O desafio aqui será comprometer-se com um primeiro passo curto e deixar as coisas fluírem a partir daí.

Por fim, a quarta razão pela qual as pessoas procrastinam é o MEDO DO FRACASSO. Em geral, o medo que leva alguém a deixar de agir é consequência de um objetivo que pode parecer grande ou difícil demais. Em uma das mais importantes obras da filosofia moderna, o “Discurso do Método”, René Descartes escreveu que “uma tarefa deve ser dividida em tantas partes quantas forem necessárias para melhor poder resolvê-la”. Assim, definir metas menores dentro de um objetivo maior é uma boa maneira de planejar e motivar-se para fazer o que deve ser feito, facilitando o processo e enfrentando o medo de falhar. Claro, também pensamos nesse aspecto ao elaborar nosso desafio diário, e você encontrará as instruções para fazer isso da melhor forma no dia 7 de nossa série.

É importante compreender que o medo é um dado natural, um mecanismo de defesa que pode ser fundamental em situações de crise ou incerteza. Tenha em mente que, por mais assustadora que uma situação possa ser, a única escolha que nos dá a garantia do fracasso é a paralisia ou a desistência de seguir em frente. O medo de falhar não é um problema, e a sua ausência nada tem a ver com ser corajoso. Coragem é a capacidade de superar as adversidades e enfrentar o medo, quando percebemos que este não nos ajuda.

Evidentemente nem sempre é fácil, mas talvez seja oportuno citar uma passagem do filósofo Aristóteles sobre o tema: “a coragem é a primeira das qualidades humanas, simplesmente porque garante todas as outras”. Se isso faz sentido para você, pegue papel e caneta para que possamos refletir sobre algumas estratégias para evitar a procrastinação das metas de 2017:

1) ESCREVA OS PRINCIPAIS OBJETIVOS QUE VOCÊ ESTABELECEU PARA SI EM 2017. EM SEGUIDA, FAÇA UMA LISTA DE POSSÍVEIS RAZÕES QUE LEVARIAM VOCÊ A PROCRASTINAR OU ABANDONAR CADA UMA DESSAS METAS.

2)– MONTE UMA ESTRATÉGIA OU DEFINA UMA AÇÃO CONCRETA PARA COMBATER CADA FATOR DE PROCRASTINAÇÃO OU FRACASSO LEVANTADO NA PERGUNTA ANTERIOR.

3) QUAIS DESSAS ESTRATÉGIAS OU AÇÕES SÃO FUNDAMENTAIS PARA QUE VOCÊ NÃO PROCRASTINE SUAS METAS MAIS IMPORTANTES EM 2017? O QUE FARÁ PARA SE LEMBRAR DE COLOCÁ-LAS EM PRÁTICA?

4) POR QUE É IMPORTANTE FAZER ISSO? O QUE FARÁ COM QUE VOCÊ SE COMPROMETA INTEGRALMENTE?

5) COMPLETE: EM 2017, ME COMPROMETO A NÃO PROCRASTINAR: …

Piers Steel escreveu também um importante livro, editado no Brasil com o título “A Equação de Deixar para Depois”, em que analisou mais de 800 artigos científicos sobre procrastinação, além de sua própria pesquisa. A obra aborda não apenas as razões pela qual tendemos a procrastinar, mas também métodos que ajudam a eliminar esse hábito indesejado. Quer saber mais sobre isso? Então não perca nosso post de amanhã!

 

QUER APRENDER A MELHOR FERRAMENTA PARA MELHORAR O SEU FOCO E CONCENTRAÇÃO? CLIQUE AQUI E CONHEÇA O CURSO INTENSIVO DE AUTOCOACHING E AUTO-HIPNOSE E SAIBA AS DATAS DA PRÓXIMA TURMA!

Deixe uma resposta