#15 Crie metas baseadas em sentimentos

#15 Crie metas baseadas em sentimentos

Chegamos à metade do nosso desafio de 30 dias com um incrível repertório de estratégias assertivas para suas metas de 2017 e muitas ideias para o novo ano que se aproxima. Obrigado por nos acompanhar diariamente! Chegou agora? Sem problemas! Pode começar desde já, pois todos os dias postamos uma técnica diferente.

Hoje vamos explorar uma estratégia para desenvolver resoluções de ano novo que alguns coaches utilizam com clientes que tendem a perder rapidamente a motivação para alcançar seus objetivos. Ela parte do pressuposto de que muitas das metas que nos propomos visam “corrigir” defeitos que vemos em nós mesmos ou satisfazer demandas sociais que não são necessariamente nossas. Como abordamos no dia 9 e dia 10 de nossa série, se não tivermos uma razão congruente com nossos valores para assumir objetivos importantes, dificilmente haverá motivação para sustentar o esforço necessário à mudança.

Aliás mudança é a palavra-chave aqui. Se você observar de perto, perceberá que muitas de nossas metas giram em torno de uma mudança sobre como queremos nos sentir. Para exemplificar, vamos pegar uma meta que é a mais assumida nas resoluções de ano novo segundo pesquisa recente da Universidade de Scranton (EUA): perder peso. Quais são os sentimentos que podem estar por trás desse objetivo?

Sentir-se saudável pode ser a conclusão mais óbvia, pois isso nos leva a uma percepção de bem-estar geral e é um dos principais fatores para uma boa qualidade de vida. Mas há outros sentimentos que a conclusão desse objetivo pode trazer. Aceitação e autoestima são exemplos claros também, afinal queremos que as outras pessoas nos admirem e aceitem, e desejamos nos sentir seguros disso. Além disso, perder peso através de uma dieta ou reeducação alimentar é algo que exige esforço e disciplina, então concluir uma meta como essa pode trazer ainda sentimentos de orgulho e empoderamento. Veja quantos sentimentos alguém com esse objetivo pode estar realmente buscando: saúde, aceitação, auto estima, segurança, orgulho, empoderamento, etc.

A essência dessa técnica está em descobrir novos objetivos ou até mesmo ações cotidianas que, ao serem assumidas, nos proporcionarão essas emoções desejadas. Por exemplo, praticar yoga ou correr geralmente nos traz um sentimento de saúde. Aceitação e autoestima podem ser obtidos em eventos sociais prazerosos ou convivendo mais com pessoas que nos amam. Além disso, amigos também nos trazem segurança. Sentimos orgulho e empoderamento quando contribuímos com quem precisa ou praticamos uma atividade na qual nos percebemos úteis.

Percebeu o espírito da coisa? Então que tal fazer um levantamento sobre como você gostaria de se sentir em 2017? E com base nisso, questionar o que mais pode ser feito, talvez ações simples ou novas experiências, que proporcionem a você essas emoções independentemente das metas mais complexas? Talvez seja uma boa maneira de cuidar para que o seu ano tenha mais qualidade de vida e menos frustrações. Se parece bom para você, pegue papel e caneta e vamos fazer isso a partir das reflexões abaixo:

  • QUAIS SÃO AS METAS QUE VOCÊ MAIS GOSTARIA DE REALIZAR EM 2015? QUE SENTIMENTOS SUA CONCLUSÃO TRARÁ? QUE OUTROS SENTIMENTOS QUER TER NO NOVO ANO?

 

  • QUE OBJETIVOS NÃO PENSADOS ANTERIORMENTE PROPORCIONARIAM A VOCÊ OS MESMO SENTIMENTOS?

 

  • QUE PEQUENAS AÇÕES COTIDIANAS QUE, SE INCORPORADAS EM SUA ROTINA, IGUALMENTE LHE TRARIAM OS SENTIMENTOS LEVANTADOS?

 

  • QUE NOVOS PENSAMENTOS FARIAM VOCÊ CHEGAR A ESSES SENTIMENTOS? E O QUE DEVERIA DEIXAR DE PENSAR PARA ISSO?

 

  • QUE AÇÕES CONCRETAS QUE JÁ PODERIAM SER IMPLEMENTADAS DESDE JÁ, E QUE TAMBÉM PROPORCIONARIAM A VOCÊ ESSAS EMOÇÕES DESEJADAS?

 

O que achou dessa técnica? Compartilhe, comente, e não deixe de revisar todas as dicas já postadas. Estamos felizes por todos quem têm acompanhado e colocado em prática nossas estratégias diárias. Amanhã traremos mais uma imperdível! Não perca!

Deixe uma resposta